quarta-feira, 24 de abril de 2013

Cair da Noite



E depois de partir, poder voltar e dizer este aqui é o meu lugar. Poder assistir o entardecer e saber que vai ver o sol raiar.

5 comentários:

Marina Linhares disse...

Gosto de fotos ao cair da noite. A sua ficou excelente. Bom click!

Nádia Santos disse...

Esplêndida foto associada a uma linda citação. Bjus querido pelo belo clik.

=> Gritos da alma
=> Meus contos
=> Só quadras

Canto da Boca disse...

Sabe, Carlos, impossível não ver essa imagem e não associá-la ao livro do Italo Calvino, As Cidades Invisíveis, perceber as particularidades; o sentido e a existência de cada uma; as cores; os sabores; o jeito; a geografia; a alma da cidade. Que é muito mais do que um complexo arquitetônico, é muito mais um filigrana sentimental.
Essa foto me trouxe reminiscências felizes, e fiquei um bom tempo aqui parada diante dela, observando detalhadamente esse belo conjunto.
Janelas que se abrem aqui, ali, acolá; janelas que se abrem para o mundo e que também abrem um mundo; o desnível das casas, os desencontros & encontros dos telhados que formam uma geometria ímpar (e meus olhos não se cansam de ver).

E como se não bastasse, trazes dois grandes compositores e interprétes da nossa música, sou muito fã de Vinícius e Toquinho... E fiquei ouvindo a música e cantarolando, enquanto me deslumbrava com sua postagem de hoje. Obrigada por esse momento!

;)))


" E ter amor e dar amor
E receber amor até não poder mais
E sem querer nenhum poder
Poder viver feliz pra se morrer em paz"

(Uma música mais que pertinente, sobretudo, em um mundo que está armado até os dentes, um sentimento bélico no ar, falar de amor é mister!)

Aqui estão os criadores e a criatura:

http://www.youtube.com/watch?v=quq1AZBWkiQ

luna luna disse...

é bom poder voltar e encontrar as raizes do que somos e de quem somos.

beijinhos

lis disse...

Oi Carlo
Sempre gosto de fotografar as tardes saindo de mansinho dando lugar a noite,
a cidade parece mergulhar na penumbra...
lindo carlo