terça-feira, 9 de abril de 2013

Zona Histórica de Lisboa




A morte não é a maior perda da vida. A maior perda da vida é o que morre dentro de nos enquanto vivemos.

3 comentários:

voo da alma disse...

Primeiro a morte e depois o renascer.
A morte deixa as memórias e essas podem ser sempre recordadas.

voo da alma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
luna luna disse...

Por isso tantos de nós não passamos de mortos vivos, mas cada instante que nos é dado para respirarmos devemos aproveita-lo como uma dádiva e transformar os momentos menos bons em aprendizado, sair do fundo do poço e viver em pleno o novo amanhecer
beijinhos